Instagram e a censura do corpo gordo

Atualizado: Set 18

Não é de hoje que lemos relatos de mulheres gordas que tiveram suas fotos removidas pelo Instagram. A plataforma afirma que a imagem viola os termos por mostrar nudez parcial, mas a censura de corpos gordos acontece ao mesmo tempo em que permite o mesmo tipo de imagem de corpos magros.


A lista de mulheres gordas que já passaram por isso é grande e crescente e, até então, sem resposta alguma da plataforma. No entanto, na última semana, o Instagram tomou atitudes devido ao caso que aconteceu com a modelo inglesa Nyome Nicholas-Williams.


Em um ensaio fotográfico e intimista, a modelo pousou para a fotógrafa Alexandra Cameron, especialista em fotografia de luz natural. Com o objetivo de ser um ensaio sobre autoconfiança e amor próprio, Nyome posou sentada, usando short e tampando os seios com os braços. Em poucas horas após a publicação em seu perfil, o Instagram deletou a foto e notificou a modelo de que sua conta poderia ser deletada.

Nyome Nicholas-Williams (Foto: Alexandra Cameron)

Assim, começou o movimento #iwanttoseenyome (em tradução livre: eu quero ver a Nyome). A modelo e a fotógrafa juntas se pronunciaram e repudiaram a atitude da plataforma que continuava derrubando a foto em qualquer perfil. O Instagram chegou a permitir que a imagem fosse publicada no perfil de ambas, mas derrubava quando outras contas publicavam em apoio.


A fotógrafa relata que já postou diversas fotos de mulheres brancas e magras, com mais nudez do que a foto de Nyome, e nunca teve qualquer tipo de problema com a plataforma. Assim, a modelo se sentiu silenciada. “Milhões de fotos de mulheres magras podem ser encontradas no Instagram todos os dias, mas uma mulher gorda e negra celebrando seu corpo é banida?”, questionou.


Com esse problema recorrente, a jornalista e criadora de conteúdo, Stephanie Yeboah, entrou em contato com a plataforma para questionar a censura de corpos gordos e negros. Já tendo passado pelo mesmo que Nyome, ela ressaltou a importância de ver todo corpo normalizado, principalmente na rede social mais utilizada no mundo.


Em resposta, o Instagram afirmou que já mudou as políticas sobre semi-nudez e está treinando sua equipe sobre corpos maiores e nudez. A plataforma utiliza uma mistura de inteligência artificial e revisores manuais para sinalizar as imagens. A política da empresa, até então, considerava como violação imagem de mulheres com seios grandes. Ou seja, quanto maior o seio, independente do tipo de foto, mais chances de ser removida. O que era analisado não era o conteúdo ou a conotação, mas sim o tamanho de cada mulher. Isso ocorre devido à hipersexualização do corpo gordo e, artisticamente, as mulheres gordas não deveriam sofrer por como a sociedade enxerga seu corpo. A expressão artística criativa deve ser acessível ao corpo gordo da mesma forma que é para o corpo magro.


Assim, o Instagram afirma que fotos apresentando mulheres em vários estados de nudez não pornográfico não serão removidos, independente da cor ou tamanho delas. Eles estão tentando fazer mais para ter uma análise precisa e representação justa e querem encorajar a expressão de todos os corpos.


Enquanto isso, seguimos sem qualquer tipo de pronunciamento oficial, apenas com as respostas da chamada que a jornalista fez com a empresa. Esperamos que essa mudança seja vista em todos os países e que os corpos gordos não sejam mais silenciados simplesmente por serem gordos. Afinal, sua liberdade, assim como sua normalização, é necessária. É o mínimo.


Fonte: The Guardian | Stephanie Yeboah (@stephanieyeboah)



-

#instagram #censura #corpogordo #iwanttoseenyome #gordofobia



52 visualizações

QUER RECEBER NOSSA NEWSLETTER?

  • Black Instagram Icon
  • Black Facebook Icon

© 2019 por Revista Hilda.