Coxas grossas: como evitar assaduras e manchas

Essa é uma coluna de skincare que vai falar sobre o corpo todo. Afinal, temos pele por tudo e não é só a do rosto que merece cuidados especiais né! Ainda mais quando estamos falando do corpo gordo, que tende a ter uma coxa mais grossa. E sabe aquela sensação de ardência que fica entre as coxas depois de caminhar em um dia de mais calor? Ninguém gosta de sofrer sem necessidade, ainda mais quando, além do desconforto, essa situação pode gerar manchas indesejadas no local da fricção. Então vamos conversar sobre como evitar tudo isso?


Começando pela prevenção, existem algumas táticas para que a ardência e as assaduras não ocorram. Os bastões antiassaduras são a dica número 1. A marca Pink Cheeks foi a pioneira no Brasil com essa solução, trazendo o Redless, um produto que parece um desodorante mas que é usado na região das coxas para evitar a fricção e as assaduras. Recentemente, o Boticário lançou a sua versão do produto, na linha Cuide-Se Bem Ativa. O objetivo dos dois produtos é o mesmo: aplicar na região das coxas no início da atividade para evitar as assaduras. Eles criam uma película na pele que ajuda a deslizar e minimiza o atrito entre as coxas. Os dois produtos custam R$ 59,90 e duram bastante tempo.



Mas é claro que existem soluções mais caseiras para esse problema. A dica 2 é apostar na vaselina. Uma camada fina do produto entre as coxas ajuda a evitar a assadura. A duração do efeito é um pouco menor, já que a pele vai absorvendo o produto e pede uma reaplicação, e a região fica melada, podendo sujar a roupa ou até mesmo derreter e escorrer pela perna. O pote de 100g custa em torno de R$ 19,90. E a dica 3 é o bom e velho talco. Ele deixa a região mais seca, minimizando o atrito, mas como deixa resíduo, a pele fica esbranquiçada. O valor vai variar de acordo com a marca escolhida.

Agora que a prevenção está explicada, vamos partir para o tratamento as manchas que já surgiram na região. A abordagem mais agressiva é o tratamento com sessões de laser ou luz pulsada. O procedimento estimula a produção de colágeno que auxilia na cicatrização da pele e na redução das manchas. O resultado é o mais rápido, mas pode causar um desconforto durante a sessão e deixar uma sensibilidade na pele logo em seguida. É uma solução que demanda uma consulta dermatológica e um profissional de confiança, especialmente para quem tem pele negra, que tem uma tendência a manchar ainda mais caso o procedimento não seja bem feito. O valor de cada sessão vai variar de acordo com a técnica escolhida.


A opção menos dolorosa, tanto na pele, quanto no bolso, é o uso de cremes de tratamento que reduzem a pigmentação. O Pigmentbio da Bioderma é um desses produtos, que além de auxiliar na redução das manchas, é aprovado para uso em áreas de fricção e com pele mais sensível, como a virilha. Por isso, ele funciona bem nas coxas. A ação hidratante e aclarante do produto é o que traz a redução das manchas, mas ele demanda um uso contínuo para que o resultado seja mais duradouro. A bisnaga com 75ml custa em torno de R$ 95,00.

Além de evitar a fricção e tratar as manchas, outra prevenção é importante de ser ressaltada: uso de filtro solar. Como no rosto, a ação do sol na pele intensifica as manchas na pele. Por isso, mesmo que as coxas acabem pegando menos sol no dia a dia, nos momentos de maior exposição, como na praia ou na piscina, a aplicação de filtro solar na região é indispensável.


Lembrando que todo cuidado com a pele, desde procedimentos até uso de novos produtos, deve ter um acompanhamento dermatológico.





QUER RECEBER NOSSA NEWSLETTER?

  • Black Instagram Icon
  • Black Facebook Icon

© 2019 por Revista Hilda.